Cresce o interesse dos brasileiros em CT&I

Artigos e Notícias

Cresce o interesse dos brasileiros em CT&I

Publicado dia 19/07/2015

A importância que os brasileiros dão a ciência, tecnologia e inovação (CT&I), aumentou exponencialmente nos últimos anos, comparável a média encontrada em países desenvolvidos. É o que apontou o estudo da série Percepção Pública da Ciência e Tecnologia no Brasil, realizado pelo Centro de Gestão e Estudo Estratégicos (CGEE), organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

O levantamento revelou que 61% dos entrevistados nas cinco regiões do País demonstraram interesse por ciência e tecnologia (C&T). Na União Europeia, por exemplo, 53% afirmaram ter interesse por assuntos de C&T. No Brasil, o tema é o quinto que mais atrai a atenção da população ? está atrás de Medicina e Saúde (78%), Meio Ambiente (78%), Religião (75%) e Economia (68%). O interesse por C&T é maior que em Arte e Cultura (57%), Esportes (56%), Moda (34%) e Política (27%).


A sociedade vê a ciência como geradora de resultados aplicáveis às suas vidas e capaz de solucionar problemas. Dos entrevistados, 73% afirmaram que as atividades científicas e tecnológicas trazem mais benefícios do que malefícios para a população. Ao comparar com outros países, a China tem índice igual ao brasileiro (73%), os Estados Unidos (EUA) têm taxa de 67%, Espanha registra média de 64%, seguida de Itália (46%) e França (43%). Isso demostra que o Brasil se destaca como um dos países mais otimistas quanto aos benefícios das atividades de pesquisa e desenvolvimento (P&D).


De acordo com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, os dados vão orientar o posicionamento, a ação e as políticas públicas no setor. "Temos um levantamento das nossas virtudes e deficiências relacionadas à C&T. Há expectativa extremamente positiva quanto a função social das pesquisas e há também dados graves, como o baixo nível de informação sobre as ações e iniciativas científicas e tecnológicas", disse o ministro.


Financiamento

O estudo apontou ainda que 78% dos entrevistados apoiam a ideia de que devem ser feitos mais investimento públicos em CT&I. Sobre esses dados, Aldo Rebelo reiterou o compromisso feito pela presidenta Dilma Roussef de dar prioridade à ciência e tecnologia na regulamentação de 50% do Fundo Social do Pré-Sal e dos esforços da pasta para recompor o orçamento do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).


"Estamos fazendo, em parceria com as entidades do Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia, uma proposta para direcionar a outra parte do recursos oriundos da exploração do petróleo da camada pré-sal para as pesquisas e para a ciência. Esse estudo deve estar pronto para ser apresentado até o fim de agosto", adiantou o ministro. "Essa será uma proposta ousada e ambiciosa, correspondendo às ansiedades do Brasil."


A pesquisa teve como base um questionário com 105 perguntas, fechadas e abertas. Foram realizadas 1.962 entrevistas em todo o País. Os dados do estudo Percepção Pública da Ciência e Tecnologia no Brasil podem ser acessados pelo endereço percepcaocti.cgee.org.br.


(Agência Gestão CT&I, com informações do MCTI)