Relações Saudáveis - Um caminho para a felicidade

Artigos e Notícias

Relações Saudáveis - Um caminho para a felicidade

Publicado dia 15/02/2016

Na edição número 19 de dezembro de 2014, escrevi um artigo intitulado “A magia do relacionamento humano”, no qual discorri sobre a dificuldade de mantermos um bom relacionamento, o que se mostra essencial para que tenhamos um equilíbrio entre nosso mundo interior e exterior. Se nos relacionarmos com sinceridade, educação, leveza, com certeza nosso grau de felicidade aumentará. Como assim? O que expande a nossa sensação de bem estar e de felicidade, são hormônios como a serotonina e a endorfina, os quais, por meio de uma alteração química cerebral provocam uma sensação de alegria e, por isso, são chamados de “hormônios do bem-estar ou da felicidade”. Eles existem normalmente em nosso cérebro mas sua liberação pode ser intensificada por alguns eventos, como por exemplo, atividade física, consumo de chocolate e até mesmo quando agimos com benevolência, o que está diretamente ligado com a forma de nos conectarmos com alguém.

A dificuldade em se relacionar com outras pessoas pode decorrer da personalidade, timidez, ou de uma fobia, que pode indicar uma patologia a qual pode e deve ser tratada. Ser tímido não é um problema. Não existe uma formula mágica para aprimorarmos nossas relações e, desse modo, minha intenção com este artigo não é apresentar ingredientes como em uma receita de bolo, mas algumas dicas podem ajudar. A primeira coisa é tomarmos consciência de que podemos e devemos mudar para melhor, identificando atitudes ou formas de agir que incomodem aos outros ou a nós mesmos. Suponhamos que eu saiba, ou ao menos desconfie, que sou tido como uma pessoa arrogante, chata, insuportável e decida que quero me tornar agradável, alguém prazeroso de se relacionar, enfim, um cara legal. Isto exigirá a adoção de ações, que muitas vezes podem se confrontar com minha personalidade ou mesmo com alguns de meus valores e crenças. Incorporar esta nova postura poderá ser uma tarefa difícil. E agora?

Seja na vida profissional ou pessoal, para que me torne uma pessoa interessante, preciso ter atitudes como cumprimentar as pessoas, agradecer, escutar ativamente, dar-lhes atenção, etc., etc., etc. Isso para muitos significa uma transformação profunda até mesmo em aspectos da personalidade e exigirá mudanças em diversos setores da vida. Não é impossível, mas muito difícil que todas essas transformações ocorram em curto espaço de tempo. Pois bem. A dica que tenho para dar é a neutralidade, ou seja, nos mantermos isentos em algumas situações. No primeiro momento eu não preciso ficar pensando em o que fazer para que as pessoas me achem legal: como devo agir, o que falar, como fazer elogios, etc. O que preciso fazer então? 

Não faça nada. Isso mesmo. Não faça nada.

Não estou querendo dizer aqui que não tenhamos que criar ações positivas para atingirmos o objetivo. Esse método consta em identificarmos aquilo que não devemos fazer. Ao montarmos um quebra-cabeça é mais fácil acharmos uma peça que não se encaixa do que a correta. Nos objetivos a seguir, qual deles seria mais rapidamente alcançado em um curto espaço de tempo: tornar-se uma pessoa carismática, ou deixar de se ser um cara arrogante e antipática. O primeiro objetivo exige uma série de novas ações e aprendizado, enquanto que, para atingirmos o segundo, basta deixarmos de agir em algumas situações, ou seja, a chamada neutralidade.

Vejamos alguns exemplos do que não fazer:

•  Não faça fofocas;

•  Não fale mal dos outros;

•  Não faça comentários destrutivos;

•  Não se meta onde não é chamado;

•  Não queira ganhar sempre não importando como;

•  Não se ache sempre o mais inteligente;

•  Não interrompa enquanto o outro está falando;

•  Não jogue a culpa nos outros;

•  Não inveje o sucesso alheio;

•  Não se esquive de sua responsabilidade em situações em que você é também responsável;

Tente descobrir quais as atitudes negativas que incomodam as outras pessoas e se policie para simplesmente deixá-las de lado. Dessa forma você não mais será visto como uma pessoa desinteressante e muita gente irá reparar em sua mudança passando a considerá-lo um cara legal. Em paralelo desenvolva mais características positivas como o sorriso, o bom humor, a benevolência e tantas outras que são admiradas por todos. Você pode ter se identificado em alguma ou nenhuma das características negativas citadas, mas, a verdade, é que sempre podemos melhorar nossas atitudes de forma a criarmos relações mais saudáveis e verdadeiras.

Lembre-se, em algumas situações, não faça nada, seja neutro. Libere mais serotonina. Mãos à obra e seja feliz!


Autor: Newton C M Vidigal - Palestrante Motivacional e de Liderança 25 anos de experiência em Liderança e Gestão de Pessoas. Engenheiro Civil, Coach Ontológico pelo Instituto Appana e MBA em Gestão de Projetos pela FGV. “Bons relacionamentos são como combustível  para atingirmos a felicidade” newton@newtonvidigal.com.br